12° CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Núcleo de Desenvolvimento
de Roteiros Audiovisuais

15 a 24 de março 2017 - Etapa 1

5 a 7 de outubro de 2017 - Etapa 2
(faz parte da programação da 17ª Goiânia Mostra Curtas)


Goiânia - GO

Edições anteriores

CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM CINEMA

Módulos:
Roteiro

03 a 07 de abril / 19h30 às 22h30

Local: Centro Cultural Cara Vídeo - Rua 83, nº 361 – Setor Sul

Programa:

* O roteirista e sua profissão
*O roteiro e a forma
* O movimento e a narrativa
* O personagem e o diálogo"
* O curta, o longa e o documentário
* O estilo e a adaptação
* O cinema e a TV
* A produção
* A pesquisa
* A narrativa e os personagens
* Diálogos e ações

Instrutor:Di Moretti

Direção (Técnica de Direção)

10 a 14 de abril / 19h30 às 22h30

Local:Centro Cultural Cara Vídeo - Rua 83, nº 361 – Setor Sul

Programa:

* Da pré-produção à Análise Técnica
* Análise Técnica
* Plano de Filmagem e Ordem do Dia
* Relação dos assistentes com a Produção, a Arte e o Elenco
* Exercício prático de Análise Técnica
* Plano de Filmagem
* Ordem do Dia
Instrutor:Luiz Carlos Lacerda

Produção Cinematográfica

17 a 21 de abril / 19h30 às 22h30

Local:Centro Cultural Cara Vídeo - Rua 83, nº 361 – Setor Sul

Programa:

* A função do produtor executivo
* Resumo de leis de incentivo
* Aprovação na ANCINE, Remanejamento e Redimensionamento de projetos
* Equipe técnica
* Elenco
* Análise técnica
* Orçamento de Filmagem
* O produtor e o diretor
* Escolha das locações
* Preparação para filmagens – reuniões com chefes de equipe
* Cronograma de filmagens
* Término da filmagem e início da montagem
* Lançamento das filmagens
Instrutor:Sérgio Kieling

Interpretação para Cinema

24 a 27 de abril/ 19h às 22h30

Local:Espaço Quasar - Rua T-28, 729 – Setor Bueno

Programa:

* Leitura e decupagem dramática
* Análise do perfil das personagens
* Elaboração de um roteiro subjetivo
* Aquecimento
* Tempo de concentração
* Utilização do repertório dos ensaios
* Ambientação nas locações
Instrutor:Sergio Penna

Regulamento

Selecionados

Patrocínio: Saga e Tropical Pneus

Apoio: Lei Municipal de Incentivo à Cultura

O II Curso de Formação Profissional para Cinema é um projeto do Instituto de Cultura e Meio Ambiente (Icumam), com o patrocínio da Saga, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura da Prefeitura de Goiânia. Nesta edição, o objetivo é capacitar novos diretores de fotografia, diretores de arte, editores.e montadores e, ao mesmo tempo, motivar a realização de vídeos e filmes de qualidade no Estado.
O projeto prevê a realização de 03 módulos (Direção de Fotografia, Direção de Arte e Edição e Montagem), cada um com 15 horas/aula, ministradas por profissionais experientes e nacionalmente reconhecidos, durante o período de três semanas.
É importante ressaltar que a segunda edição do Curso de Formação Profissional para Cinema tem caráter de continuidade do trabalho realizado em 2006, quando o Icumam manteve o foco no Roteiro, Direção, Produção Cinematográfica e Interpretação para Cinema.

O III Curso de Formação Profissional para Cinema é um projeto do Instituto de Cultura e Meio Ambiente (Icumam), com o patrocínio da Saga e Brasil Telecom, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura da Prefeitura de Goiânia. Este ano, a intenção é encerrar um ciclo de formação, que vem contemplando, desde 2006, alguns dos principais estágios de qualificação para a produção profissional de cinema.

O processo de capacitação iniciou-se na primeira edição do projeto, quando o Icumam promoveu os cursos de Roteiro, Produção, Direção e Preparação para Atores. No ano seguinte, com prioridade para os participantes da primeira edição, o curso trouxe para Goiânia conceituados profissionais nas áreas de Direção de Fotografia, Direção de Arte e Edição e Montagem.

Ainda de forma complementar, agora o Icumam propõe os módulos Som Direto e Finalização de Som e Continuidade Cinematográfica (etapa 1) e Roteiro Avançado e Produção Executiva – Formatação de projeto (etapa 2), separados por etapas de trabalho, cada qual com um processo distinto de seleção de participantes. Cada curso tem 16 horas/aula, todos ministrados por profissionais experientes e de trabalho nacionalmente reconhecido. Aqueles que participaram das edições anteriores do Curso de Formação Profissional para Cinema continuam tendo prioridade no processo de seleção para a primeira etapa do curso. A segunda etapa, no entanto, terá como critério de seleção a avaliação do roteiro enviado pelo candidato no ato da inscrição (ver item 5 do regulamento).

O processo seletivo está aberto a toda a comunidade, mas dá preferência para candidatos com experiência na área do audiovisual.

O Curso de Formação Profissional para Cinema conclui um ciclo importante em sua quarta edição, oferecendo qualificação em quatro etapas que são decisivas para que o produto audiovisual final seja bem sucedido: finalização, produção de lançamento, exibição e distribuição.
Três profissionais conceituados, cujos trabalhos são referência no Brasil vão compartilhar suas experiências entre 02 e 18 de abril, com um grupo que vem se capacitando, nos últimos anos, nas diversas áreas de atuação da cadeia produtiva do audiovisual.
O universo da cinematografia digital e sua transição para película no processo de finalização do filme é o foco de José Augusto De Blasiis, um profissional que passou pelos maiores laboratórios cinematográficos do Brasil e emprestou seu conhecimento para projetos como Cidade de Deus, O Invasor, Carandiru, Tapete Vermelho, entre outros.
O ritual de estréia é assunto para a oficina ministrada por Carolina Scalice, que traz dicas preciosas e estratégicas, estimulando a formação em uma área especializada e com projeções no mercado à medida que cresce a produção nacional.
O cineasta e professor de Cinema, Humberto Neiva, alerta: "o filme não acaba na 'lata'" e traz informações que ampliam as perspectivas de circulação do produto audiovisual, na oficina Distribuição e Exibição.
É com grande satisfação que o Icumam promove essa aproximação, colaborando para esse processo continuado de formação que tem impacto direto no desenvolvimento da produção audiovisual em Goiás.
Maria Abdalla
Coordenação geral

Para iniciantes

A quinta edição do Curso de Formação Profissional para Cinema atende prioritariamente ao público interessado em iniciação nas práticas audiovisuais. E os iniciantes são muitos! Um público atento às oportunidades, motivado pelos festivais de cinema e vídeo realizados no Estado e acolhidos pelas escolas e cursos que surgiram nos últimos anos para atender à crescente demanda instalada.
Para eles, o Icumam traz profissionais de trabalho nacionalmente reconhecido para compartilhar noções fundamentais na formação de roteiristas, assistentes de direção e produtores, três posições basilares no processo produtivo do audiovisual do começo ao fim.
Antes, porém, de retomar as funções estruturantes desta elaborada cadeia produtiva, o Curso de Formação Profissional para Cinema contemplou todas as outras etapas profissionais, inclusive as mais específicas para garantir acesso à informação que poderá abrir portas no mercado do audiovisual em qualquer parte do Brasil para profissionais locais.

“O cinema permanece, antes de mais nada, uma arte da imagem e tudo que não é ela (palavras, escritas, ruídos, música) deve aceitar sua função prioritária”. A citação do cultuado teórico francês Jacques Aumont pode dimensionar perfeitamente a importância da imagem no processo produtivo do audiovisual. É neste contexto que, a sexta edição do Curso de Formação Profissional para Cinema reúne profissionais brasileiros renomados com o intuito de compartilhar conhecimento teórico e experiência de campo acerca da criação, do tratamento e da utilização final da imagem no cinema, em oficinas de Direção de Arte, Direção de Fotografia e A prática da Montagem. Dando continuidade ao segundo ciclo de formação do projeto, iniciado pelo Icumam em 2005, com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, do SEBRAE-GO e da iniciativa privada, o curso de cinema é dedicado ao público iniciante nas práticas de produção audiovisual, em busca de qualificação para o mercado cinematográfico, em Goiás.

Qualificação é o grande objetivo do Curso de Formação Profissional para Cinema. Em sua sétima edição, o projeto reúne profissionais atuantes no mercado cinematográfico nacional e tem como objetivo mesclar teorias e práticas de conhecimento com a finalidade de oferecer mecanismos para o desenvolvimento e consolidação do audiovisual goiano. O impacto na formação de mão de obra no mercado é significativo.

Serão ministradas oficinas de Som Direto, Roteiro Adaptado e Produção Executiva. As atividades vão desde o fundamento do áudio e da acústica, construção de roteiro até a elaboração de orçamento e distribuição nacional e internacional da obra cinematográfica. A situação do mercado atual e as Leis de Incentivo serão temas para estudo durante o curso.

A sétima edição dá continuidade ao segundo ciclo de formação do projeto, iniciado pelo Icumam em 2006, com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, do SEBRAE-GO e da iniciativa privada. O Curso é destinado ao público iniciante que busca nas práticas de produção audiovisual qualificação no mercado cinematográfico.

Acesse o regulamento e inscreva-se agora.

Jovens e experientes profissionais são os convidados para a oitava edição do Curso de Formação Profissional para Cinema. Eles têm formação acadêmica, ampla atuação no mercado de trabalho do audiovisual e trazem não somente argumentos técnicos como vivência, que orienta a dinâmica do fazer Cinema no Brasil, na atualidade.

Excelente oportunidade de conexão com aspectos teóricos e práticos da produção cinematográfica, com 40 horas/aula, o curso oferece três módulos voltados para atividades que, definitivamente, qualificam um bom filme como a preparação de atores, a continuidade e a direção, do começo ao fim do processo criativo.

Iniciado em 2006, o projeto tem como objetivo oferecer capacitação e qualificação para realizadores goianos, bem como promover a reflexão sobre questões (técnicas, estéticas, éticas, poéticas) próprias do audiovisual dirigidas a novos pesquisadores, estudantes e apreciadores da chamada sétima arte.

O Curso de Formação Profissional para Cinema é uma realização do Icumam, com o apoio do SEBRAE-GO e da iniciativa privada.

Maria Abdalla
Coordenação

Aprendizado, formação e qualificação são os grandes objetivos do Curso de Formação Profissional para Cinema. Em sua nona edição, o projeto reúne profissionais atuantes no mercado cinematográfico nacional e tem como objetivo mesclar teorias e práticas de conhecimento, com a finalidade de oferecer mecanismos para o desenvolvimento e consolidação do audiovisual goiano.

Como uma excelente oportunidade de conexão com aspectos teóricos e práticos da produção cinematográfica, com 40 horas/aula, o curso oferece três módulos voltados para atividades que, definitivamente, qualificam a finalização da produção audiovisual. Serão ministradas oficinas de Finalização, Produção de Lançamento e Distribuição e Exibição, com atividades que vão desde o fundamento da produção audiovisual e de sua finalização até a necessidade da prática da distribuição nacional e internacional da obra cinematográfica.

Até 2013, o Curso de Formação Profissional para Cinema havia formado 210 alunos. A maioria destes egressos que passaram pelas edições e módulos do projeto trabalham atualmente no mercado audiovisual. Dessa forma, há uma grande afetividade com este trabalho, porque se cria oportunidades de contato teórico e prático com conteúdos atualizados, ministrados por alguns dos mais qualificados e ativos profissionais do audiovisual brasileiro.

A nona edição encerra o segundo ciclo de formação do projeto, iniciado pelo Icumam em 2006, com o patrocínio da Papelaria Tributária, via Lei Goyazes, SEBRAE-GO e apoio da iniciativa privada. O curso é destinado aos interessados na área Audiovisual, estudantes, realizadores, produtores, roteiristas, com intuito de formar profissionais mais capacitados para o mercado audiovisual.

Roteiro, o "X" da questão

Depois de vários anos sobrevivendo às sombras, parece que não só público, produtores, diretores, apaixonados por cinema e TV perceberam que para uma trama audiovisual conseguir ser saudável e manter- se em pé é preciso que tenha uma excelente estrutura narrativa, uma trama instigante, bem urdida, como um belo brocado. O roteiro é a primeira e mais essencial das engrenagens de um bom filme, de uma série de televisão, de um documentário, de uma novela das oito. Histórias bem construídas, personagens críveis, profundos, situações dramáticas bem alinhavadas. Para isso, precisamos investir e fomentar a profissão e o profissional de roteiro.

O cenário que se apresenta na atualidade é de uma formação acadêmica inconsistente, de poucas iniciativas que auxiliem e incentivem a formação de novos profissionais de roteiro aptos a atender esta demanda imprescindível. O famoso diretor Martin Scorcese disse recentemente que o que se faz de mais revolucionário em termos de dramaturgia audiovisual hoje está nas séries de TV. Obras mais ousadas esteticamente e tematicamente que os próprios filmes de cinema. Os retumbantes sucessos das séries Breaking Bad, Games of Thrones, House of Cards, entre tantas outras, revelam a importância que o mercado internacional está dando ao bom roteiro e à boa dramaturgia.

Aqui mesmo, estamos tendo uma guinada na direção e na filosofia das emissoras de televisão, que resolveram investir quantitativa e qualitativamente em novas séries, como a TV Globo, que no último ano lançou mais de meia dúzia de projetos. Para dar conta disso, a rede de televisão mais popular do Brasil reconheceu a necessidade de arejar e reciclar seu parque criativo (leia-se autores), convocando talentosos roteiristas de cinema para atender esta nova demanda, como Bráulio Mantovani & Carolina Kotscho (A Teia), Fernando Bonassi & Marçal Aquino (O Caçador), George Moura (Amores Roubados) e Jorge Furtado (Doce de Mãe). Mesmo nas novelas, reduto quase inexpugnável da velha guarda dos autores reconhecidos, vivemos uma renovação surpreendente e, de novo, a figura central desta transformação é o roteirista e, novamente, o cinema brasileiro vem alimentando a TV, fornecendo mão de obra tão rara e tão especializada. Os exemplos se sucedem no caso das telenovelas – Marcos Berstein & Carlos Gregório (Além do Horizonte), João Emanuel Carneiro (Avenida Brasil).

Mesmo os grandes estúdios estrangeiros – Fox, Warner, Turner e Sony –, famosos por produções cuidadosas e requintadas, em função das cotas de tela, também estão abrindo espaço para produções nacionais e, principalmente, para roteiristas nacionais, como fez a HBO com títulos como Psi, Filhos do Carnaval, FDP, contando com profissionais, como Thiago Dottori, José Roberto Torero e Elena Soares.

Ou seja, independente da mídia (TV ou cinema) ou do formato (série ou novela) ou do gênero (ficção ou documentário), o que se busca acima de tudo é a excelência dramática, a fluidez narrativa e, para isso, precisamos rapidamente de iniciativas que fomentem o surgimento e a aperfeiçoamento de novos roteiristas. O 10º Curso de Formação Profissional – Núcleo de Desenvolvimento de Roteiros Audiovisuais é voltada diretamente para atender esta carreira emergente e vital para o futuro destas produções audiovisuais, é bem-vinda, urgente e absolutamente necessária.

O Curso de Formação em Cinema do Icumam é uma ação de qualificação profissional que tem impacto relevante na formação de mão-de-obra para o mercado do audiovisual em Goiás.

Desde 2015, o projeto ganhou aprofundamento constituindo o Núcleo de Desenvolvimento de Roteiros Audiovisuais. Em sua décima primeira edição, a proposta é trabalhar projetos de ficção e desenvolvimento de personagens ficcionais, bem como séries de TV (drama e humor).

Gratuito, ministrado em módulos, estruturado em duas etapas, o curso é conduzido por profissionais atuantes no mercado cinematográfico, interessados na troca de experiências. Este ano o Curso de Formação em Cinema reúne Di Moretti (ficção), Marcelo Starobinas (personagens), Thiago Dottori (série de TV dramática) e Denis Nielsen (série de TV humorística).

É estratégica a fração do conteúdo do curso em etapas distanciadas num período de seis meses. Dessa forma, aqueles projetos que apresentam potencial de desenvolvimento ganham tempo para amadurecimento da proposta, antes da segunda rodada de consultas, ajustes finais, compartilhamento da experiência em grupo.