Emilie Lesclaux

Emilie Lesclaux nasceu na França e mora desde 2002 no Recife, Brasil. Formada em ciências políticas, trabalhou dois anos no Consulado Geral da França para o Nordeste, no Serviço de Cooperação e de Ação Cultural. Desde 2005 é sócia da produtora pernambucana CinemaScópio. Desde 2008 é produtora e co-diretora da Janela Internacional de Cinema do Recife. Naquele ano, produziu o curta-metragem Recife Frio, de Kleber Mendonça Filho, selecionado em 40 festivais e vencedor de 32 prêmios. Em 2010, produziu seu primeiro longa de ficção, O Som Ao Redor, dirigido por Kleber Mendonça Filho, selecionado em mais de 100 festivais de cinema, e vencedor de 32 prêmios. O filme foi escolhido um dos dez melhores filmes do ano pelo New York Times e representou o Brasil no Oscar, na categoria de melhor filme estrangeiro. Em 2014, ela produziu Sem Coração, um curta-metragem de Tião e Nara Normande, selecionado em mais de 50 festivais (entre os quais a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes e o Festival de Clermont Ferrand) e vencedor de 28 prêmios.  Entre 2012 e 2015, ela produziu três longas de Recife: Permanência, de Leonardo Lacca (lançado em 2015 nos cinemas), O Ateliê da Rua do Brum, de Juliano Dornelles (em finalização), e Aquarius, o segundo longa-metragem de Kleber Mendonça Filho, estrelado por Sônia Braga. Aquarius estreou na competição principal do Festival de Cannes em maio de 2016. Foi distribuído em mais de 150 países e ganhou 34 prêmios em festivais. Em 2018, produziu o longa Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, que estreou na competição do Festival de Cannes em maio de 2019 e ganhou o Prêmio do Júri. Atualmente trabalha em mais quatro projetos de filmes e uma série de documentários para televisão.