João Paulo Miranda Maria

Diretor e professor acadêmico, João Paulo Miranda Maria nasceu no interior do estado de SP/Brasil em 1982. Fez Cinema no Rio de Janeiro e Mestrado em Multimeios na Unicamp. Influenciado por sua pesquisa sobre o cineasta Jean Luc Godard e o Grupo Dziga Vertov, João Paulo retorna ao interior de SP e funda o grupo de pesquisa e prática cinematográfica Kino-olho. Observando a realidade, ele buscou no cotidiano de sua cidade a inspiração para seu estilo, que chamou de “Cinema Caipira”, uma linguagem a partir da observação da realidade crua e bruta, da qual ele tenta transmitir sua essência. Em dezembro de 2015, participou de um Lab organizado pela Semana da Crítica – Festival de Cannes, em parceria com o Torino Lab, em Moulin D’andé – Céci (Centro dos Escritores Cinematográficos), onde passou por consultoria sobre seu roteiro com grandes especialistas. Em 2017, João Paulo participou da residência artística Cinéfondation, oferecida pelo Festival de Cannes, em Paris. Dentre seus trabalhos, estão os curtas-metragens Meninas Formicida (Competição Oficial de Veneza 2017); A Moça que dançou com o Diabo (2016 – Festival de Cannes, Competição Oficial, Prêmio especial do Júri ; 54º New York Film Festival; 60º BFI London film Festival; Festival Internacional Vila do Conde, Portugal; 27º Festival de Curta-metragem de São Paulo – Kinoforum; 5º Olhar de Cinema de Curitiba, Prêmio do Público); Command Action (2015 – Festival de Cannes, Mostra competitiva “Semaine de la critique”; Festival Internacional Vila do Conde, Portugal; 59º BFI London Film Festival; 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; V Janela Internacional de Cinema do Recife; 3ª Mostra de Cinema de Gostoso, RN); A girl and a Gun (2009 – selecionado e premiado no Concurso “The Screening Room Mobile Phone Movie competition” – CNN, competição exclusiva para melhor filme em celular).