PROJETOS PREMIADOS NO 6º ICUMAM LAB

Foram quatro os projetos premiados no 6º Icumam Lab, pelo excelente desempenho no Video Pitching, conforme opinião do júri composto pela produtora Ariene Ferreira da c/as4atro; pela publicitária e diretora de atendimento da DOT Cine, Magali Wistefelt; pelo diretor, produtor e supervisor de pós e efeitos da Mistika, Marcelo Siqueira; e pelo produtor convidado Ivan Melo.

Confira os projetos e os prêmios recebidos:

1. Ao Sul do Sol (MS) – Documentário (longa-metragem). Diretor: Rodolfo Ikeda. Produtor: Joel Pizzini

AO SUL DO SOL é um filme etno-poético sobre a híbrida identidade cultural de descendentes de Okinawa (ilha ao sul do Japão, na fronteira entre China e Coréia) e suas migrações e reinvenções em Mato Grosso do Sul, MS (estado no sul do Brasil, na fronteira entre Paraguai e Bolívia). Por meio de insólitas e singulares histórias de indivíduos ligados a tais entre-lugares, o filme é um ensaio entre migrações, origens, mitos e sincronicidades, rediscutindo a construção sociocultural das identidades.

Ao Sul do Sol foi contemplado com dois prêmios: Conformação, aplicação de letreiros e DCP (MISTIKA) e 36 horas de correção de cor (DOT CINE).

 

2. F de Fake (DF) – Documentário (série de tv). Diretor: Gabriel F. Marinho. Produtora: Carolina Villalobos

F de FAKE é uma série de documentários históricos sobre as mentiras que afetaram a História do Brasil. Apesar de parecer algo novo, essa é uma prática antiga. Desde as vésperas da proclamação da República, a disseminação de notícias falsas mobilizou grupos, destruiu biografias e influenciou a política do país. Com uma linguagem ácida (mas sempre cuidadosa com os fatos), propomos uma forma divertida de tratar esse urgente tema. Afinal, todos temos responsabilidade quando o assunto é fake news. Quem cria, quem compartilha e também quem não questiona o que lê, o que assiste, o que escuta.

F de Fake foi contemplado com dois prêmios: 4 horas de consultoria de produção Executiva (C/AS4ATRO) e consultoria individualizada de pitching para o projeto vencedor, presencial ou por skype, direcionada de acordo com a necessidade do projeto (edital/encontro de co-produção/pitch forum – VERMELHO FILMES)

 

3- Kikio (MS) – Série de TV de Ficção (animação). Diretora: Andréa Escobar Freire. Produtor: Belchior Donizete Cabral

Série de aventura em animação, inspirada na obra de Geraldo Espíndola e contos indígenas, retrata a vivência de irmãos gêmeos em transformação na infância, superando obstáculos com a ajuda de forças da natureza. TUPI e GUARANI cumprem as tarefas dadas pelo avô KIKIO que quer prepará-los para que se tornem líderes no futuro.  Diante de desafios, os irmãos se valem de um curioso amuleto presenteado pelo avô, que lhes dá poderes de se transformarem em animais, mas que só pode ser ativado quando estão juntos. Tendo a natureza seus mistérios e encantos como ambiente, as crianças são provocadas a superar as dificuldades e controlar suas emoções, alcançando o conhecimento de suas próprias fraquezas e potencialidades. A cooperação e os poderes mágicos do amuleto ajudarão nossos heróis a superar seus desafios.

Kikio foi contemplado com o prêmio de 4 horas de consultoria de produção Executiva (C/AS4ATRO).

 

4- Obazuka: a missão  (GO) – Documentário (longa-metragem). Diretor: Kaco Olímpio. Produtora: Flávia Ferreira

O projeto de longa-metragem documental “Obazuka a Missão” tem como protagonista Washington da Conceição ou Obazuka, como gosta de ser chamado, é catador de materiais recicláveis. Nascido em 1978, atualmente com 40 aos, Obazuka, recebeu esse ​apelido quando trabalhava na construção civil. Hoje, trabalha na reciclagem da sua irmã em Rio Claro, interior de São Paulo. Por limitações financeiras, Obazuka precisa morar no próprio local de trabalho, sua casa é nos fundos do galpão, entre as pilhas de materiais reciclaveis que recolhe. Apesar de ser insalubre o espaço se revela bastante lúdico, o galpão é coberto por dezenas de miniaturas de aeronaves que pendem do teto, todas construídas pelo próprio Obazuka com materiais que ele encontra no lixo, Obazuka, como a grande maioria dos brasileiros, não possui condições financeiras de realizar seus sonhos, mas pretende buscar meios para que suas três missões sejam realizadas: Ir para o Rio de Janeiro de bicicleta, disposto a encontrar Deborah Secco, mesmo não tendo nenhum contato estabelecido com ela; Ir até a Pedra Bonita da Gávea e conseguir um voo de aeroplanador; e assim como constrói suas maquetes de avião, construir um avião de forma experimental que irá permitir que ele realize seu sonho de voar. Partimos então da seguinte ideia: Existe limite para o sonho? Para Obazuka a resposta é não, e é nessa consciência que está a premissa do longa-metragem. Enquanto um cidadão comum naturalmente coloca limites em seus sonhos sonhos, os moldando muitas vezes de acordo com a sua condição social, Obazuka nos ensina que nada pode pagar um sonho. A nossa proposta é que a partir do micro, do universo particular d’Obazuka, nós façamos uma reflexão mais abrangente sobre a relação do ser humano com os sonhos, em como se dá esse cabo de guerra entre o desejo e a necessidade de algo e o que somos capaz de movimentar para atingir nossos objetivos, mesmo quando parecem improváveis. Voar é um sonho que permeia o imaginário coletivo do ser humano desde o início das civilizações. Com a evolução tecnológica já conseguimos até visitar a Lua. Marte parece ser o próximo destino, provavelmente ainda nas próximas décadas. Porém uma enorme lacuna social sempre distanciou Obazuka de seu sonho de voar. Qualquer pessoa com um pouco de privilégios e um cartão de créditos hoje em dia consegue comprar uma passagem de avião, mas Obazuka vive com um salário de 600 reais por mês.

Obazuka: a missão foi contemplado com o prêmio de consultoria a um projeto de longa-metragem pela direção do BrLab, de acordo com a necessidade do projeto (BRLAB).

A realização do 6º Icumam Lab é do Icumam Cultural e Instituto, apresentação do Fundo de Arte e Cultura de Goiás através do Governo do Estado de Goiás e apoios do BrLab, Mistika, DOT Cine, C/as4atro e Vermelho Filmes.