home mostra programação oficinas/seminario debates regulamento homenagem filmes prêmios imprensa mostra especial júri equipe parceiros goiânia
Capital do Cerrado

Goiânia é uma cidade hospitaleira, aberta para o convívio com o visitante e disposta a compartilhar suas paisagens, seus sabores, suas histórias. Quem anda pelas ruas dessa jovem capital percebe uma vocação para o cultivo de jardins e praças, na tentativa de recuperar uma atmosfera de convivência que esteve presente desde a sua fundação por Pedro Ludovico Teixeira.

Goiânia surgiu no estilo art déco, na década de 1930. Pouco desse patrimônio arquitetônico ficou preservado e pode ser visto no Centro da Cidade, no entorno do Teatro Goiânia, o prédio que hospeda a 7ª Goiânia Mostra Curtas. Uma caminhada pela parte central da cidade revela não somente a identidade art déco deste lugar, mas convida a um mergulho cultural enriquecido pela convivência com artistas populares, comerciantes ambulantes de bugigangas chinesas e baciadas de pequi (quando é tempo de pequi). Para estreitar laços com a cidade e com o povo goiano também convém visitar no Mercado Municipal (Rua 4 do Centro) a banca de fumo de rolo do Seu Afonso e experimentar a cachaça do Bar do Jamil e as empadas do Seu Alberto e Domingos.

A economia local gira em torno da prestação de serviços com forte influência do agronegócio, baseado na pecuária e no cultivo de soja, milho, arroz e, mais recentemente, no plantio da cana de açúcar.

O turismo em Goiânia está prioritariamente focado em eventos. Uma vez passando por Goiânia, é bom caminhar pela Avenida Goiás e passar na Esfiha Quente e tomar uma creme misto (quase esquina com a Rua 4), visitar a Feira do Cerrado no Parque da Criança, onde se encontra o artesanato com a cara do Brasil Central. Outras opções são a Feira da Lua da Praça Tamandaré, no sábado à tarde; a Feira Hippie, próxima à antiga Estação Ferroviária (Estação Cultura) e a Feira da Praça do Sol, as duas no domingo. Boa parte das tradições, ritos e costumes do povo goiano também podem ser encontrados no Memorial do Cerrado, aberto à visitação no Campus da Universidade Católica (UCG).

Com os museus de arte em reforma e transição, vale a pena a visita ao Museu Zoroastro Artiaga, na Praça Cívica, onde está o acervo histórico de imagem e som do Estado. A herança do povo indígena que habitou e habita a região encontra-se disponível para a visitação no Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (UFG), na Praça Universitária, que abriga um belo acervo de esculturas, em exibição ao ar livre.

Uma diversidade de bares por toda a cidade instaura a cultura do “churrasquinho de calçada”. O melhor bolinho de bacalhau está no Obelisque, no Setor Coimbra.

A gastronomia goiana é derivada da cozinha de Minas Gerais, como não poderia deixar de ser... afinal, grande parte do Estado foi desbravada por mineiros destemidos. Quase invariavelmente, goianos têm bisavós e avós mineiros.

Restaurantes com diferentes perfis atendem a públicos variados nos Setores Oeste e Marista. Os pratos típicos estão no fogão de lenha do Chão Nativo. Para comer carne: Lancaster Grill, Churrascaria Montana ou Cateretê Restaurante. A comida árabe mais tradicional da cidade fica na Avenida 83 do Setor Sul e a cozinha oriental também está bem representada no tailandês Tao e o japonês Kampai.

Mais de 30 salas de cinema estão localizadas nos shopping centers de Goiânia. Cinema de arte ou circuito alternativo só no Cine Cultura e no Cine Lumière do Shopping Bougaiville.


Descubra mais sobre Goiânia: www.goiania.go.br .

Icumam - Rua 91 Nº 612, Setor Sul - cep: 74083-150 - Goiânia - GO - fone (62) 3218 3780 -Fale conosco